5 comentários

  1. Nuno DV
    Nuno DV 13 de maio de 2014 at 14:43 |

    Território que mais me deixou arrepiado… Jandir me deu um mega presente.

    Reply
  2. Jandir Jr.
    Jandir Jr. 10 de maio de 2014 at 7:43 |

    Que trabalho incrível do Guto Lacaz, Beá! Muito obrigado por me apresentar e pelas suas palavras. Fiquei curioso para conhecer seus desenhos da crise, se for possível. Até!

    Reply
    1. Beá Meira
      Beá Meira 10 de maio de 2014 at 9:47 |

      Fui pesquisar e vi que o nome da obra do Guto Lacaz é Coincidências Industriais. Os micro desenhos que explicam a minha crise talvez nenm existam mais!

      Reply
  3. Beá Meira
    Beá Meira 9 de maio de 2014 at 22:29 |

    O território foi espetacular. Saímos falando, como sempre: -Este foi o melhor!
    Mas houve algo especial neste dia. Achei inicialmente que esta sensação vinha de uma identificação com o Jandir Jr, também eu vivi uma crise aos 21 anos, me afoguei em dúvidas e tentei organizar meu universo em 3 desenhos mínimos do tamanho de um cartão de visita. Depois achei que a força deste território estava no fato de serem todos jovens, mas o Alex Nistaldo, que fez um poético desabafo sobre as dificuldades de fincar seu belo projeto, Misturando o Som, em Realengo, é de outra geração. Pode ter sido a garra pura das três mulheres. Porque realmente é uma delícia se sujeitar a já conhecida intensidade de Jessica Castro; cada palavra soa nova e gera movimentos. Karen Kristien, esta menina sonhada em Hollywood, organizou seu percurso em conceitos, racionais e cheios de graça e para finalizar Janaína Tavares afirmou que lugar de poesia é na rua, onde ela pode transformar o exoesqueleto da humanidade, que é a cidade.
    Talvez o próprio processo do território seja se aprimorar, por isso está sensação de acúmulo, de um andar em passos largos.
    Fica a responsabilidade de soprar aos quatro ventos o que aprendemos aqui todo dia.
    Jandir, sobre as coincidências, há uma obra do Guto Lacaz que se chama Coincidências Geométricas, trata-se de uma vitrine com uma coleção de objetos que trazem alguma medida comum. Assim, o interior da fita crepe tem o mesmo diâmetro da lata de leite condensado, etc. A predestinação é o olhar do artista capaz de encontrar.

    Reply
  4. Jussara Santos
    Jussara Santos 9 de maio de 2014 at 16:54 |

    Não li acima. Mas falo do que vi. Foi muito legal. E sai entendendo que vivemos hoje em um mundo complexo.

    E coloco uma poesia de alguém que pensa no assunto:
    “ELES SE Amam, Todo Mundo SABE mas ninguém ACREDITA. Localidade: Não conseguem Ficar juntos. Simples. Complexo impossível. Quase. Ele. Vivendo continua SUA vidinha idealizada e ELA continua idealizando SUA vidinha. Alguns dizem Que ISSO jamais daria Certo, OUTROS dizem that were Feitos ELES preferem Localidade: Não Dizer nada hum parágrafo O Outro.. Preferem Meias Palavras e milhares de Coisas Nao Ditas. ELA QUER atitudes, elemento Quer ELA. Todas como Noites ELA PENSA Nele, e como Manhãs Todas elemento PENSA Nela. ASSIM E VÃO Vivendo ATÉ QUANDO a Vontade de Estar com o Outro para fazer Maior OUTROS Opaco OS. Enquanto o Mundo Vive la fóruns, Dentro de CADA UM TEM UM Pedaço Do Outro. MESMO E Sorrindo POR ai, CADA UM SABE um Falta Opaco O Outro Faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais Serao mesmos OS. Fácil E o Porque Os Dias Passam Polls Demais, E difícil o Porque o Sentimento FICA, vai Ficando e permanece Dentro Deles. E de Todos os Dias enguias se perguntam o Que Fazer. imaginam E OS abraços, como Noites com Dores NAS costas esquecidas Pelo Primeiro Sorriso do Outro. E Que No Momento Certo se reencontrem e Que Nada, nada SEJA POR Acaso “.

    – Tati Bernardi.

    Reply

Deixe um comentário