11 comentários

  1. Markito Moraes
    Markito Moraes 1 de abril de 2013 at 21:45 |

    Muito bom seu texto! Se todo mundo usasse a rede para compartilhar Belos textos e belas ideias as as redes sócias estão contaminas co um tal de pseudo-realismo,que da o direito aos “Amigos” a me enviar imagens violentas como se eu não soubesse que a violência campeia em nosso meio. Lindo obrigado

    CIDADE GRANDE

    Cidade grande! Tem gente de tantas terras,
    Tem sonho de tanta gente,
    Que chega a tocar na gente
    O sonho que o outro sonhou.

    Cidade grande!
    Tem gente que aqui trabalha
    Mas tem saudade da palha,
    Da terra batida, e do amor.

    Cidade grande!
    Tem gente de tão distante,
    Tem gente que é imigrante,
    Até de outra nação.

    Cidade grande!
    Acolhe tanto afluente
    Dos rios de tanta gente
    Que vem aqui desaguar
    E traz na mala mil sonhos
    Com sonho de realizar.

    Rio de Janeiro!
    Acolhe como amigo
    Esse meu povo sofrido,
    Que vem para cá trabalhar,
    Cansado de apanhar.

    A dor que bate nas portas dessa cidade.
    É a dor de tanta saudade
    Do povo que imigrou.

    Reply
  2. Regina Peixoto
    Regina Peixoto 18 de março de 2013 at 18:31 |

    Que delícia de crônica, Claudina! Já conhecia seu talento no palco, mas não imaginava que o tinha também nas letras. Com grata surpresa observo uma escritora revelando, com sensibilidade e sutileza, a realidade existente por tràs de uma cena aparentemente banal. Deixou u gostinho de “quero mais”. Parabéns!

    Reply
  3. Alcydinei Theodoro dos Santos
    Alcydinei Theodoro dos Santos 18 de março de 2013 at 16:40 |

    Claudina adorei sua crônica, ela nos leva a uma realidade bem coesa. Esperamos que outras mas venha elevar nossos espíritos e engrandecer nossa alma de poeta!

    Reply
  4. Alcydinei Theodoro dos Santos
    Alcydinei Theodoro dos Santos 18 de março de 2013 at 16:30 |

    Claudina adorei sua crônica, ela nos leva junto nessa busca, nesse trâmite cheio de resquícios e, dentro de um cotidiano verdadeiro. Parabéns que continue a nos engrandecer com suas entre linhas.

    Reply
  5. Euclides Amaral
    Euclides Amaral 18 de março de 2013 at 12:13 |

    Claudina,
    seu micro-conto me deu um grande prazer ao lê-lo.
    Há ação o tempo todo, contudo, não há julgamento de valor (Bem ou Mal) por parte do personagem (ELA) central e sim pelo narrador, o que demostrou q o conto tanto foi escrito por quem conhece bem a realidade, porque é das Quebradas, quanto por quem apenas vê e percebe de longe a movimentação das Quebradas (q é a foma de chamar as comunidades, as periferias em São Paulo). À vezes é preciso estar de fora pra ver TODO e em outras, é preciso estar DENTRO pra perceber as nuances. Difícil é juntar as duas visões em uma só, concatená-las, com maestria. Isso você conseguiu neste micro-conto. Lembro das duas versões de “5 vezes favela”, se bem q a primeira, da década de 1960, tinha um olhar externo mais clichê, apesar dos grandes cineastas, já a segunda, feitas pelo próprios personagens, trouxe outro ângulo, de forma que, se juntar as duas, você terá a real dimensão do tema, o clichê faz parte da forma q alguns conseguem ver, por isso também é importante. Seu micro-conto tem os clichês necessários e precisos saídos da boca do narador e o personagem apenas sentem caminha de sua forma original. Parabéns!!! escrever é cortar palavras!!!! gostei mesmo. Euclides Amaral

    Reply
  6. Feijah'N
    Feijah'N 17 de março de 2013 at 18:32 |

    Ops…. Mandei o anterior sem a correção…
    rsrsrs esse aqui é o que tá valendo!
    Assim… Trago minha contribuição pela reflexão através de minha obra poética musical…

    Herói da Comunidade
    Autor: Feijah’N
    2008

    Estamos num mato sem cachorro
    Pra todo lado só horrores
    Seja no centro ou subúrbio da cidade
    Dentro do lar tem um tesouro
    A mãe que sofre pelo filho
    Sem reclamar… Vem dela o valor do homem
    Que desperta e revela seu poder
    De artista, corredor… Astronauta, jogador…
    Vão à luta, sobrevivem, dão exemplo…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Mesmo havendo o opressor
    Sim reconheça seu valor
    Pois aquilo que não te mata fortalece!
    E se há juras de amor
    Ter o cuidado é muito bom
    Pare e reflita o que a pessoa tem no íntimo
    Na madrugada toda gata é como lebre…
    Seja malandro, fuja disso, pois entende…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!
    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Reply
  7. Feijah'N
    Feijah'N 17 de março de 2013 at 18:26 |

    Trago minha reflexão através de minha obra poética musical…

    Herói da Comunidade
    Autor: Feijah’N
    2008

    Estamos num mato sem cachorro
    Pra todo lado só horrores
    Seja no centro ou subúrbio da cidade
    Dentro do lar tem um tesouro
    A mãe que sofre pelo filho
    Sem reclamar… Vem dela o valor do homem
    Que desperta e revela seu filho seu poder
    De artista, corredor… Astronauta, jogador…
    Vão à luta, sobrevivem, dão exemplo…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Mesmo havendo o opressor
    Sim reconheça seu valor
    Pois aquilo que não te mata fortalece!
    E se há juras de amor
    Ter o cuidado é muito bom
    Pare e reflita o que a pessoa tem no íntimo
    Na madrugada toda a gata é como lebre…
    Seja malandro, fuja disso, pois entende…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!
    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Reply
  8. Fátima Amorim
    Fátima Amorim 16 de março de 2013 at 18:19 |

    Gostei, Claudina. Parabéns pela qualidade do texto. Siga em frente, você é muito boa nisso.
    Bjs.

    Reply
  9. Claudia Valeria Miqueloti
    Claudia Valeria Miqueloti 16 de março de 2013 at 17:36 |

    Senti vontade de me ausentar, de fugir de um lugar assim. O texto está muito bem escrito. Remeteu-me a rotina diária de um trabalhador que deseja que seu dia tenha mais brilho, mas motivações, não a mesma rotina e pasmaceira de sempre.
    Belo e verdadeiro.
    Beijos Cláudia.

    Reply
  10. Claudina Oliveira
    Claudina Oliveira 16 de março de 2013 at 16:32 |

    Fico feliz que tenha gostado do meu texto Shirley! Fico motivada a escrever mais! Agradecida!

    Reply
  11. Shirley de Paula
    Shirley de Paula 16 de março de 2013 at 12:41 |

    Claudina Oliveira! Adorei sua crônica. Bem real. Gostaria de conhecer mais dos seus trabalhos. Beijos e parabéns!

    Reply

Deixe um comentário