33 comentários

  1. ZineØØ
    ZineØØ 25 de março de 2014 at 3:28 |

    Gente, depois de um tempo tentando escrever sobre as danças do Hip Hop consegui dar um avanço nisso – devo a todxs os queridos aqui da UQ, em especial à colega Jeane Lima de longas conversas, às aulas da Professora Silvia Soter, e neste 2013 minha gratidão se estende ao Professor Sergio Andrade, meu coordenador no grupo Laboratório de Crítica, dentro do Festival Panorama 2013! Peço que deixem um comentário por lá, q não precisa mostrar erudição, apenas um alôzinho já tá valendo!

    Trata-se de uma apreciação do espetáculo CRACKz, da Cia. Grupo de Rua de Niteroi, esse que assistimos, e q faz grande sucesso pela Europa e mundo afora!
    Bejãos a todxs – Xandu
    http://panoramafestival.com/2013/crackz-luz-sombra-e-poesia/4768/

    Reply
  2. B.boy Rafa
    B.boy Rafa 17 de maio de 2013 at 13:10 |

    Caraka tenho muito orgulho em poder ter conhecido um grande amigo e irmao que se torno muito importane em minha vida profissional e particular, desta leitura e pesquisa pude obter muitas ideia que meu mano Poeta Xandu tem pra passa por esta leitura muitos vão obter informação e credibilidade na dança e na cultura HIP HOP obrigado por essa informação meu amigo xandu zine00 sempre inovando.. parabéns irmao tamos juntos e misturados um abraço fique na pvz…..

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 17 de maio de 2013 at 20:09 |

      B.Boy Rafa por aqui! Aí sim! maninho, tu sempre me apoiou, acompanhei de perto várias lutas aí de Itaguaí, sei que esse texto ajuda a pensar – espero que Cia.Expresso Break continue crescendo e se torne vencedora, não só nas batalhas, mas nos palcos também! falta pouco !
      Grande abraço irmão!
      Xandu

      Reply
  3. Samir
    Samir 16 de maio de 2013 at 11:58 |

    Ha ha Grande Xandú… Que visão grandiosa que teve de fora dos espetáculos urbanos na cena teatral e ou de Espetáculos do Rj… faço minhas as palavras de Jessica Fellipe… Nossa urbanidade está no nosso “DNA” rsrs, então descaracterizar isso é impossivél, mais dialogar com a comtêmporaneidade de cena com sentimentos que antes não nos pertenciam devido ao nosso cenário de bailes e batalhas é o grande diferencial dos Street’s Dancer’s em serem verdadeiros e transformar nosso corpo em arte iponente e diferente das demais… continue assim apoio sua iniciativa e tamos aí pra somar sempre!! Abraços meu Querido…

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 17 de maio de 2013 at 20:05 |

      Grande Samir! muita honra poder ouvir sua opnião, um cara que corre atrás e tá fazendo bonito, esse ano – com o Festival DNA! Bom, acabei barrado para apresentar umas linhas no DNA, mas independente disso, teremos outras oportunidades pra frente! Obrigado por passar por aqui!
      abraços!
      Xandu

      Reply
  4. LUCK
    LUCK 16 de maio de 2013 at 11:14 |

    Muito bom e isso ai meu camarada.

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 16 de maio de 2013 at 11:37 |

      ôutz! B.Boy Luck! casa cheia na minha estreia! ó meu guru aê gente! levitei três centímetros aqui! rsss
      GBCR casa forte – Rocinha somos o q somos!
      salve!
      – xnd!

      Reply
  5. Jhei AfroBreak
    Jhei AfroBreak 16 de maio de 2013 at 8:09 |

    É isso aí Xandu! Sempre utilizando a arte da escrita para decifrar as nossas vivências. São coisas assim que fortalecem e incentivam o estudo. Gostei : )

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 16 de maio de 2013 at 11:36 |

      Uhh! B.Girl Jhie, não foge naun!! rss essa garota escreve muuuito! hoje sou eu, aqui, amanhã será você no mundo, com seus poderes mágicos, pra dança, pra escrita, pra vida!
      brigadinho – emocionou!
      _xnd_

      Reply
  6. Gerson AfroBreak
    Gerson AfroBreak 15 de maio de 2013 at 22:01 |

    É isso ae! adorei sua visão! a dança é um universo magnifico, independente dela, todos tem sua liberdade de busca e crescimento….

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 16 de maio de 2013 at 11:33 |

      Aiiiii! taí alguém que realmente me emociona no Breaking _muito respeito por ti B.Boy Gerson! Se minha escrita tem valor percebo pelo nível de quem veio aqui: AfroBreak, ElDorado/Diadema SP mó valor!
      vlw! _xnd_

      Reply
  7. Cleyde Silva
    Cleyde Silva 14 de maio de 2013 at 14:33 |

    Muito bom ver suas percepções se conectando, e como é bom também perceber que o Hip Hop tá saindo da própria bolha e experimentando outras possibilidade de se misturar.
    Bom trabalho Poeta Xandu Abraço quentinho do Nordeste.

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 14 de maio de 2013 at 20:02 |

      uou! olha o Núcleo Dirceu aí geeente!! Muito bom, abracinho do Piauí não é pra qq um!! Fiquei feliz! rss Mas aê Cleyde, ótimo vc por aki! Na verdade são muitas experiência acontecendo, alguns BONS coreógrafos conseguem tirar o Hip Hop do seu lugar confortável, dividido entre a rua e o pop! É um grande esforço pegar uma liguagem fechada e botar nesse outro cantinho: junto das ArtesContemporâneas!!
      gente é pra brilhar! vamos em frente!
      1000 beijos, 1000 casas _ tamo aê!

      Reply
  8. Orlando Manuel
    Orlando Manuel 14 de maio de 2013 at 2:11 |

    Salve Salve Poeta.
    Magic Aqui.
    Muito bom o texto, gostei do comentário sobre a referencia do GRN em espetáculo com a junção de Estilos Urbanos e contemporâneo. Infelizmente não cheguei a ver o espetáculo da Cia SONIA, mas pelas fontes seguras seus comentados detalhado foi muito técnico mesmo, pude perceber isso devido o comentário sobre movimentação em palco. Mas enfim gostei do comentário da Sabrina logo em cima concordo com ela, é muito valido o que ela disse. E só tenho a dizer parabéns por essa nova andada rsrsrs vamos que vamos.

    HIP HOP

    Mtt Paz

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 14 de maio de 2013 at 19:55 |

      Muita honra B.Boy Magic!! eu bem entendo a falta de uma descrição do que foi o espetáculo!
      – mas: ainda_está_em_Cartaz_, ñ posso expor.
      Sei, daria um complemento super-importante, nesse texto, que acabou parecendo que “todo mundo foi ao teatro”, e bem sei q é difícil para muitos… E claro, a linguagem técnica é complicada, tentei facilitar, acho q cheguei perto.
      __obrigado pela presença aki!! vlw Magic!!

      Reply
  9. Sabrina Vaz
    Sabrina Vaz 10 de maio de 2013 at 11:31 |

    Pow pow pow! rsrs adoro isso!
    Amei saber que estas a escrever sobre danças e suas respectivas exposições, achei o texto muito bom e com uma velocidade boa.
    Com a prática de escrita e indo nos lugares você vai vendo qual é a sua linha de pesquisa, de escrita e tal… Um dica minha é que, a descrição e a narração introspectiva do espetáculo é muito importante, pois temos que saber escrever para o bailarino que viu e que não viu, e também para a pessoa que não é da área que viu e que não viu. Imaginando conversar esses 4 tipos de pessoas temos um texto claro e popularizado e bastante difusor porque atende a todos!
    É isso Genivaalllllllllll!!! Estamos juntos, vamos colar! Beijooosss

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 10 de maio de 2013 at 12:25 |

      rss tô quase mudando de nome memo…. genival é uma homenagem ao GOG (rap), sou Poeta Xandu, e fiquei muito feliz por ter lido – esse retorno mará q vc me passou! amei. s2

      Obs: sobre a narrativa, tb achei, mas o lance é q o espetáculo ainda está “em cartaz”, achei que pegava mal…

      Reply
  10. Renato Cruz
    Renato Cruz 9 de maio de 2013 at 23:06 |

    Querido poeta, fico feliz de ver você desenvolvendo esta escrita voltada para a apreciação em dança, sobretudo da dança de rua. Carecemos destes olhares… que venham outros textos, parabéns!

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 10 de maio de 2013 at 0:49 |

      Tava indo nessa direção, tô indo nessa direção, tô chegando!!! A Cia. Híbrida tem me ajudado muito, em todos os sentidos, seu alô por aqui já é uma vitória no horizonte! download em 45%… target=mestrado?
      valeu Renato, eu q fico feliz! +++juntos!+++

      Reply
  11. Bea Meira
    Bea Meira 9 de maio de 2013 at 12:33 |

    Valeu poeta Xandú. Muito importante esta contribuição para a cena da dança contemporânea e de rua. Próxima parada é um texto sobre o trabalho da Eliete falando sobre a dança afro. Faça no seu tempo! bjs

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 9 de maio de 2013 at 13:34 |

      Beá __minha fada madrinha ! rss Estou de olho nessa moça, tal de Eliete, pode deixar! ela escorrega, mas os desencontros não me desanimam, tá tudo agendado! obrigado pelo(s) desafio(s) _nada como um puxão de orelha, muito fino e educativo! beijos totais!

      Reply
  12. Rafael Nas
    Rafael Nas 8 de maio de 2013 at 22:50 |

    … muito bem Xandu. Eu sempre te elogiei e vou continuar elogiando pelo modo que você escreve. Desta vez, consegui mesclar muito bem a linguagem formal com a linguagem técnica que alguns de nós devido ao nosso fraco sistema de ensino e baixo nível cultural não temos acesso. Continue com o seu trabalho. Conte com o nosso apoio …

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 9 de maio de 2013 at 13:31 |

      Nossa, B.Boy DuGueto, sabe q a gente é sempre!!, nénão? rss contra um ensino fraco, vem nós _os fortões !! kkk! na luta sempre _tu é linha de frente nisso! valeu a presença aqui – abraços!!

      Reply
  13. Viviane Lopes
    Viviane Lopes 8 de maio de 2013 at 11:51 |

    O Xandu nesse texto, se colocou de uma forma bastante real sobre a mistura da dança contemporânea com o street, mas acredito que muitas pessoa ainda não entendam isso muito bem. O me desejo é que todas as pessoas que fazem esse tipo de trabalho, estudem mesmo essa coisa do contemporâneo, pois já que a dança contemporânea “pode ser a sua dança, a sua leitura “, fica de repente um caminho fácil demais.
    Valeu Xandu, tamo junto.

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 9 de maio de 2013 at 13:29 |

      sim! as leituras estão abertas, claro! a ideia foi dar um lugar próprio para as Street, sem misturar com outras possibilidades… muito grato Vivi, aprendi muito contigo, e vou caminhando e andando e seguindo no Breaking – beijos beijos

      Reply
  14. Silvia Soter
    Silvia Soter 7 de maio de 2013 at 23:24 |

    Xandu, que bom ler o seu texto!!! Achei boa a forma como você resgata também a experiência do 1000 casas, do ano passado. Uma experiência em dança levando à outra. é isso aí. abraços

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 8 de maio de 2013 at 0:11 |

      nuss… que alívio… _a profa leu! e gostou!!! hahaha! obrigado pelo carinho, pelas palavras, certamente me estimula a dar mais um confere no que rola pelos palcos. São muitos amigos na dança, uma agenda boa para tocar isso, muitas ideias na cabeça!
      ___vamo q vamo!

      Reply
  15. Natasha
    Natasha 7 de maio de 2013 at 16:17 |

    Muito boa a iniciativa do texto porque elabora bastante sobre o que tem de diferença na dança contemporânea do hip hop e a visão linda que se pode ter depois de algum espetáculo desse gênero. Adorei o texto meu querido me instigo mais ainda de assistir um espetáculo desses rs! Beijooos e continua assim..

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 7 de maio de 2013 at 18:06 |

      Isso! tentei buscar esses limites, essa interação, escrever sobre isso – é difícil!! Claro que fica incompleto com essas poucas linhas – mais pra frente tem mais!! beijuuuus! s2

      Reply
  16. Jéssica Fellippe
    Jéssica Fellippe 7 de maio de 2013 at 16:04 |

    Parabéns! Revela a sua vivência para todos que leem e apresenta para nós o Hip Hop na cena, na dança. Não tem como negar que é Hip Hop. A partir dele se produz o pensar em dança no cenário contemporâneo, na contemporaneidade. Mesmo que se negue (porque ha diretores que negam isto) ele está lá: no teatro, nas ruas, nos bailes. Ele está no corpo desses bailarinos urbanos! Massa!
    Gostarei de ter lido depoimento dos dançarinos e direção falando do processo de criação e composição.
    É isto aí! Sucesso

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 7 de maio de 2013 at 18:04 |

      Fico feliz com seu comentário, sempre vi sua batalha para promover a dança e a cultura! Como eu sigo o conceito dado pelo Frank Ejara, ele não trata de Dança Hip Hop, mas Street Dance, um pacote de estilos além do rítmo Breaking. Mas, tb, não vejo maiores polêmicas. Obrigado por seu coments! bjs

      Obs: Sobre o processo – deixei o link da Cia Urbana ali, tem tb no Idança: http://idanca.net/companhia-urbana-de-danca-estreia-novo-espetaculo/

      Reply
  17. Kikinho
    Kikinho 7 de maio de 2013 at 15:50 |

    Nossa muitas ideia que esse cara tem pra passa pela leitura muitos vão obter informação e credibilidade na dança obrigado por essa informação meu amigo xandu zine00 ta que ta !!

    Reply
    1. ZineØØ
      ZineØØ 7 de maio de 2013 at 17:58 |

      Valeu Kikinho! aprendi muitas coisas contigo, agora vou expandindo mais um mucadinho – ainda quero ver um espetáculo seu! abraços!!

      Reply

Deixe um comentário