4 comentários

  1. Francisca Maria Fernandes
    Francisca Maria Fernandes 14 de abril de 2014 at 15:53 |

    A construção em boa forma, a rica expressão sobre o Amor e a Ficção, aprofundamento na interação!

    Reply
  2. Felipe Boaventura
    Felipe Boaventura 11 de abril de 2014 at 16:27 |

    Deixo registrado meus agradecimentos a professora Sandra Portugal pela grata surpresa de termos um texto nosso sob análise em sala, algo que muito nos orgulha. Obrigado! E também aos amigos Quebradeiros pela troca profícua de impressões a respeito do texto, meus agradecimentos!

    Reply
    1. Beá Meira
      Beá Meira 11 de abril de 2014 at 17:14 |

      Felipe, eu não comentei em sala, mas no dia que você mandou “sobre a inveja” pro site, eu li pensando no livro Cidades Invisíveis do Italo Calvino.

      Reply
  3. Feijah'N
    Feijah'N 10 de abril de 2014 at 15:10 |

    “SANDRA – PORTO E SAL”

    Pasmado mas não paralisado
    Continuo a afirmar
    Que…
    Eis, sempre, o melhor momento das QUEBRADAS
    Com palavras mais validadas
    Em virtude de saber o conhecimento
    Em firmamento do meu e do teu saber
    É bom poder viver
    E com a maestria de Sandra Portugal se entreter

    Pois, aprender e trocar com ela, é…
    Fino aprendizado com divertimento
    As aulas tem outros contextos

    Se aprende a decifrar os textos

    Quanta regalia!

    Aproveitemo-la, enquanto ainda é dia
    Na vasta secura do deserto do ensinamento brasileiro
    … A água do saber ainda brota
    Aflora com hidro conhecimento que permite a nutrição
    Das árvores secas que aqui estão…
    Nas quebradas eis a ação em vasta concepção

    Sandra Portugal… É só emoção!
    Como navios com suas cargas, entendemos…
    Sandra, é Porto, é Sal
    Que ancoramos como as Naus de Busca a Mais Conhecimento
    Também, obtemos o Sal que Tempera o Entendimento

    Reply

Deixe um comentário