8 comentários

  1. Maria Consuelo dos Santos Ribeiro
    Maria Consuelo dos Santos Ribeiro 17 de abril de 2013 at 23:10 |

    A presença marcante se Salgado Maranhão, e o seu compromisso com o sonho e a realização da sua construção sociocultural e educacional, me conduziram a uma “viagem” ao passado, não tão distante, pois nossas vivências têm muito em comum! A infância lúdica, a casa simples, as oportunidades educacionais… O diferencial se concentrava no prazer das pequenas realizações e nos laços de dependência do grande amor de mãe, com sua capacidade de sabedoria, acima da média, devido ao autodidatismo. Ah! Que grandes autoras e gestoras são as mães! Bravo!!! Elas são incríveis, são demais!!!
    A partir da “CONSTRUÇÃO DO LEITOR EM UMA CASA SEM LIVROS” fiz uma reflexão do quão importantes são os desafios, os sofrimentos e as dificuldades, pois nos aproximam do amplo potencial ofertado por Deus, o qual nos é dado, através das oportunidades que nos chegam sutilmente, pela vida afora! Aprendemos a transformar um limão em um delicioso copo de limonada, saboreado ao som da brisa do mar, enquanto observamos a natureza ao redor, deitados, balançando-nos em uma rede, acompanhados do grande amor, e olhando o por do sol, em um dia de primavera…
    Conhecer, ter a oportunidade de trocar ideias, e ouvir um homem tão especial, como Salgado Maranhão foi um grande presente!!!

    Q – Quero aqui agradecer, em meu nome e em nome dessa comunidade, à
    U – UFRJ por ter premiado a nossa sociedade, a Rocinha, com
    E – Essas incríveis personalidades que “versam” a vida com profundos questionamentos, poesia, teatro e canções, com
    B – Belos movimentos, com saudades e com outras emoções. A
    R – Rocinha está em um momento largamente privilegiado, pois o
    A – Amor ( inclusive o de mãe), a cor, a crítica, o meio ambiente, as transformações, estão chegando sob a forma de poesia,
    D – Deslocando-se em “folhas” que conduzirão sonhos, em mares, rios e oceanos, de forma desmedida.
    A – As sementes que plantamos ontem serão complementadas, hoje, e frutificarão abundantemente no futuro, uma vez que a
    S – Sabedoria e a valorização individual e coletiva, são o grande destaque, pois no processo ensino-aprendizagem não deve caber preconceito, desrespeito ou desonra, mas somente relacionamento saudável, crença, transformação positiva e gentileza!!!

    Reply
  2. Aurélio Mesquita
    Aurélio Mesquita 12 de abril de 2013 at 0:15 |

    Estes encontros das Quebradas têm uma coisa que na minha modesta avaliação é belamente positiva, que é esse desejo de acender em nós os nossos desejos. Todos os encontros têm sido para mim e creio que para outros da turma também uma fonte doce de conhecimento, mas este com o professor e poeta Salgado Maranhão foi além, talvez porque ele tenha falado mais de si mesmo, embora eu seja natural de uma região afastada, mas também no nordeste, quando ele descrevia pedaços da sua biografia eu estava quase em transe a ouvir fragmentos da minha história! Absolutamente todas as passagens que relatava eu tinha vivido aquelas sensações ao final da década de 60 e início da de 70 principalmente a busca por livros e a solidão de alguém pra conversar e mesmo assim manter-me no foco (sonho) de ser um artista. Então pensei, este homem é a prova viva de que eu tenho razão. A luta continua!

    Reply
  3. jaqueline lopes
    jaqueline lopes 11 de abril de 2013 at 22:08 |

    Como posso me escrever na universidade das Quebradas?

    Reply
    1. Numa Ciro
      Numa Ciro 13 de abril de 2013 at 10:40 |

      Olá, Jacqueline,

      venha na quinta-feira às 14h assistir a aula de Elisa Larkin do Nascimento sobre Mitologia Negra. Lá conversaremos sobre o seu desejo de ingerssar no curso. Um abraço!

      Reply
  4. Beá Meira
    Beá Meira 11 de abril de 2013 at 19:26 |

    O poeta é mercador
    traficante de caminhos
    que vende raios,
    sinfonias
    e horizontes.

    …o poeta corre o risco
    entre o amor livre
    e a palavra.
    está sempre atrás do pano
    em plena corda bamba.

    Salgado Maranhão
    há 9 horas · Curtir · 1
    Recolhido no facebook

    Reply
  5. Luana Dias
    Luana Dias 10 de abril de 2013 at 12:09 |

    As palestras da Rocinha podiam rolar na do Flamengo! Uma pena não ter tempo em mais um dia da semana…

    Reply
    1. Bea Meira
      Bea Meira 10 de abril de 2013 at 12:43 |

      Luana, você pode ir na Rocinha se quiser. O curso da Rocinha é de literatura, fizemos um programa especial para uma Biblioteca. Qualquer quebradeiro é sempre bem vindo numa aula do Flamengo ou do pólo.

      Reply
  6. Claudina Oliveira
    Claudina Oliveira 10 de abril de 2013 at 11:25 |

    Por ter compromisso nesse mesmo horário, como eu precisava ter um clone de mim mesma…! Essa aula promete!

    Reply

Deixe um comentário