5 comentários

  1. luciana Andreia
    luciana Andreia 25 de março de 2014 at 13:00 |

    ESTA AULA FOI UMA QUE GEROU MUITA POLEMICA ATÉ PORQUE NAS PERIFERIAS TEMOS VÁRIOS TALENTOS QUE PODERIAM SER APROVEITADOS NESTE FESTIVAL OU EM QUALQUER OUTRO TEMOS QUE DAR PRIORIDADE A OS ARTISTAS QUE ESTÃO COMEÇANDO . CLARO QUE COM TALENTO TEMOS QUE TEM A CORAGEM DE NÓS MOSTRAR E NÓS POSICIONAR

    Reply
  2. Jussara Santos
    Jussara Santos 25 de fevereiro de 2014 at 8:14 |

    E qual foi o resultado final para UQ?
    gente estou tentando enviar a mensagem e nao vai…
    nossa tecnologia fica muito a desejar…rs

    Reply
  3. Jussara Santos
    Jussara Santos 25 de fevereiro de 2014 at 8:12 |

    E qual foi o resultado final???

    Reply
  4. Rogéria Reis
    Rogéria Reis 21 de fevereiro de 2014 at 0:13 |

    *Lê- se saudando no lugar de saldando. rsrsrsr

    Reply
  5. Rogéria Reis
    Rogéria Reis 20 de fevereiro de 2014 at 23:38 |

    Paul Heritage, professor de artes cênicas, chegou cheio de animação, saudando os quebradeiros com seu português carregado de um sotaque inglês.
    Muito carismático nos contou sobre o projeto Rio occupation London, que reuniu trinta artistas brasileiros de diversas expressões por trinta dias em uma casa para um processo criativo coletivo, na ocasião das olimpíadas culturais de Londres, ocorridas em 2012.
    Resumiu rapidamente sobre o processo de escolha desses artísticas o que gerou questionamentos diversos.
    Paul recebeu como um gentleman as críticas mas depois nos devolveu a responsabilidade, na forma de uma dinâmica de grupo, solicitando uma reflexão de como poderiam ser as olimpíadas culturais aqui no Brasil e quais seriam os nossos critérios de seleção dos artistas que dela participariam?
    Houve um consenso com relação à necessidade do Rio ocupar o próprio Rio, pensando nessa característica cosmopolita da cidade.
    Foi muito interessante essa palestra com o Paul e um excelente exercício com a utilização de alguns conceitos de gestão cultural.
    Muito acalorada mas nem por isso menos importante. Nos revelou facetas dessa dimensão do produtor e gestor de cultura.
    Pena que não fui sorteada no catálogo que estava lindíssimo e de altíssima qualidade.
    Até a próxima aula!

    Reply

Deixe um comentário